Meu homelab

Padrão

Fala pessoal, tudo bem?

Recentemente, terminei de criar o meu homelab e queria compartilhar com vocês o resultado. Estou muito satisfeito. Acho que, finalmente, montei o homelab que eu sempre quis.

Com o setup atual, consigo testar quase tudo que eu quero, o que facilita (e muito) o aprendizado e o processo contínuo de se manter atualizado.

Talvez esse post ajude você a ter uma ideia de como é um homelab e quem sabe servir de estímulo pra você montar o seu? 🙂

Mas, antes de tudo, por que eu preciso de um homelab?

Na área de TI, é super importante ter um ambiente de laboratório pra você fazer o que quiser. Como é um ambiente controlado em que você tem 100% liberdade de mexer, o homelab se torna uma excelente ferramenta de aprendizado.

Não sei vocês, mas mesmo com um mundo de “nuvens” à sua disposição, eu ainda sinto falta de fazer as coisas do zero, sabe? É algo pessoal.

Eu sinto que meu processo de aprendizado exige uma visão COMPLETA sobre aquilo que estou estudando. Eu tenho uma grande dificuldade em abstrair e “aceitar” o que está sendo mostrado, sem ter uma visão fim a fim.

Por um lado isso é bom, porque o aprendizado se sustenta em bases muito sólidas. Porém tem um custo alto: exige muito tempo, paciência (sanidade mental) e concentração, além de ser mais complexo.

Isso é uma das virtudes (ou defeitos?) do curioso: querer saber como tudo funciona. Diria até que é um dos princípios de sobrevivência na área de TI: aceitar que você não sabe de tudo e que precisa aprender todo dia.

Black Guy Thinking Meme - Happy Wishes | Famous memes, Black guy meme, Meme  faces

Enfim. Voltando ao homelab.

Existem homelab’s de diferentes tipos, propostas e orçamentos. Vai tudo depender do tipo de “coisa” que você quer testar. Eu, particularmente, dedico os recursos do meu homelab para testar soluções da VMware, que demandam uma grande quantidade de memória e CPU.

Existem “N” formas de testar soluções da VMware. Por exemplo, você pode iniciar com o Workstation ou utilizar um ambiente “nested”.

Eu, inicialmente, comecei com um ambiente “nested”. Mas, não demorou muito até eu começar a ter alguns problemas.

Como eu quero testar muita coisa simultaneamente, meu ambiente “nested” estava sofrendo com o oversubscription de CPU, pouca memória (mesmo com 128 GB de RAM), além da questão de networking, que se apoiava em soluções de contornopara funcionar corretamente.

Não me agradava.

Eu queria ter, no mínimo: 2 hosts físicos, 1 storage externo, 1 switch e 1 firewall. Sinto que, dessa forma, eu estaria um pouco mais “perto” da realidade de uma empresa. Ainda que longe.

Finalmente, depois de juntar uma grana, consegui comprar o que eu queria e dediquei um cantinho do meu escritório pra colocar isso tudo:

O cantinho que aquece seu coração

Vou entrar em detalhes sobre cada componente do meu homelab.

Servidores

Como falei anteriormente, decidi sair de uma única máquina em modo “nested” (se você não sabe o que é nested significa, dá uma olhada aqui) e decidi comprar mais uma máquina para formar um cluster ESXi com dois hosts físicos.

Eu optei por utilizar duas máquinas do mesmo modelo e com as mesmas configurações de hardware.

A máquina em questão é uma workstation Dell Precision T3610.

Amazon.com: Dell Precision T3610 Workstation E5-1620 V2 Quad Core 3.7Ghz  64GB 1TB Dual DVI Win 10 Pre-Install (Renewed): Computers & Accessories

Eu simplesmente amei essa máquina. Apesar de não ser um servidor, ela possui componentes de servidor, é silenciosa, compacta, mas ao mesmo tempo poderosa. Ou seja, perfeita para um homelab.

Levando em conta sua configuração de hardware, ela também teve um custo benefício muito bom.

Originalmente, ela veio com uma CPU mais fraca, mas aí fiz upgrade para um processador com mais cores, que veio diretamente do AliExpress por uma pechincha.

Além disso, também comprei 2x NIC’s dual gigabit externas para servirem como uplinks dos meus hosts. Deixei a NIC onboard somente para gerência.

Para quem quiser saber sobre os valores também (não inclui os upgrades), vou colocar abaixo junto com as especificações:

ModeloCPURAMValor
Dell T3610Intel Xeon E5-2650 v2 2.6 GHz 8c/16t128 GB DDR3 ECCR$ 4500,00
Dell T3610 Intel Xeon E5-2650 v2 2.6 GHz 8c/16t128 GB DDR3 ECCR$ 4500,00

Storage

Para o armazenamento do meu lab, optei por utilizar o meu antigo desktop e transformei ele em um storage.

Escolhi o FreeNAS, pois é o que mais tem comunidade ativa na internet, além de uma base de conhecimento muito grande.

Esse desktop costumava ser o PC em que eu jogava. Eu também brincava de vez em quando com o VMware Workstation e criava alguns laboratórios básicos, por isso ele tem 32 GB de RAM.

E apesar desse desktop ser um pouco antigo, encaixou perfeitamente para a proposta de storage. A quantidade de RAM é ótima para o ZFS Cache do FreeNAS.

dopl3r.com - Memes - Me *builds a pc with 32GB RAM* Chrome

Por um lado, não precisei comprar outra máquina, mas acabou que meses depois senti falta de jogar e montei um outro PC (maldito Valorant).

Para o storage, também comprei uma NIC dual gigabit e configurei o LACP no meu switch para agregar banda das duas interfaces.

Quanto aos discos, eu já tinha alguns SSD’s e HD’s aqui em casa para poder usar no FreeNAS.

No fim das contas, eu acabei usando apenas os HD’s. Utilizar os SSD’s seria desperdício pois a taxa de leitura/escrita estariam limitadas ao throughput da rede (100 MB/s).

Anyways, segue abaixo as specs do storage:

ModeloCPURAMStorageValor
DesktopIntel i7-3770k @ 4.4 GHz 4c/8t32 GB DDR34 TB HDD em RAID-0 (stripe)n/a

Rede

E por último, mas não menos importante, vamos aos equipamentos de rede. Tanto os hosts ESXi quanto o storage (FreeNAS) se conectam à um switch L2 gerenciável com 10 portas GbE (8 RJ45 e 2 SFP).

O modelo em questão é o TP-Link TL-SG3210.

É um switch básico. A única coisa que eu precisava era suporte à 802.1Q e LACP (802.3ad). E ele atende perfeitamente. O Wesley tinha um desses parado e me vendeu baratinho 😉

Atualmente, estou usando todas as portas desse switch.

Cada host ESXi consome 3 portas cada (1 para gerência e 2 para uplink), todas configuradas em modo Trunk. O FreeNAS usa 2 portas (em modo Access), onde eu configurei LACP.

O switch se conecta ao meu firewall, carregando todas as VLAN’s no Trunk.

Sendo assim, vamos ao próximo item. O roteamento entre VLANs e o acesso à internet está sendo gerenciado pelo meu firewall.

O modelo em questão é o Fortinet FortiGate 60D.

Eu e o Valdecir estávamos procurando um modelo de firewall para nossos respectivos homelab’s que chegasse pelo menos um pouco perto de uma realidade “enterprise”. O desafio era achar algo minimamente acessível.

Esse firewall parecia ser uma ótima opção. O Valdecir acabou achando duas caixinhas dessas pra vender em Guarulhos e eu logicamente falei que queria uma. Ele me fez a gentileza de mandar por Correios depois <3.

Aproveitando pra falar que ele fez um post bem detalhado sobre esse firewall no blog dele, dá uma olhada.

ItemModeloDescriçãoValor
SwitchTP-Link TL-SG3210L2 gerenciável 10 portas GbE (8 RJ45 + 2 SFP)R$ 300,00
Firewall FortiGate 60D7 portas LAN, 2 WAN e 1 DMZ c/ UTM e SD-WANR$ 550,00

Pra finalizar a camada de rede, a última coisa que eu precisava era de um link de internet com IP fixo.

Minha intenção era usar meu firewall para fechar VPN’s com a AWS (e também com o VMware Cloud on AWS) para brincar com algumas migrações. Ter um IP fixo pra isso é crucial.

E essa foi a parte mais difícil.

The Real Reason We Love Our Internet Son, Gavin. | by Maria Andrea Mejia |  RTA902 (Social Media) | Medium

Liguei para todas as grandes ISPs que atendem na minha região (Vivo, Claro e TIM) e pedi informações à respeito de planos de internet com IP Fixo.

Em geral, fiquei bem frustrado. Não vou entrar em detalhes, mas em geral ou era um absurdo de caro ou era extremamente burocrático.

Pra minha sorte, um belo dia eu estava entrando na minha rua e reparei uma caixa de fibra ótica no poste e vi o nome de uma ISP, que parecia ser local.

Pesquisei o nome da ISP na internet e, pra minha sorte, ela atende a minha região e estava com alguns planos promocionais para novos clientes. E o melhor de tudo: IP fixo sem burocracia.

Acabei assinando um link de fibra ótica com 300 de download e 150 de upload com IP fixo por R$ 150,00/mês.

memes #meme #love #inlove #hearts #frog | Ếch, Đang yêu, Emoji

E assim, o ciclo estava fechado.

Agora eu tinha tudo que eu precisava pra montar um homelab (quase) perfeito com tudo o que eu queria.

Resumo

Em resumo, todos esses componentes se interagem da seguinte forma:

É claro que você não precisa começar com tudo isso que eu tenho. Você pode começar com um lab nested por exemplo.

O VMware Workstation é uma ótima opção para homelab, por exemplo.

Pra você ter ideia, eu obtive minha VCIX-NV fazendo laboratório de NSX em cima do VMware Workstation, usando meu antigo desktop com 32 GB de RAM. Deu pra subir um ambiente 100% funcional pra estudar pra prova.

Caso você esteja realmente sem grana, é sempre bom lembrar que a VMware disponibiliza gratuitamente o HOL, onde você pode testar quase todas as soluções da VMware por meio de um lab virtual.

Espero que esse post sirva de incentivo pra você criar o seu próprio homelab e continuar sempre estudando 🙂

Se você tem alguma dúvida, ou quer trocar uma ideia sobre homelab, vou ficar muito feliz em ajudar. Me manda uma DM no Twitter (@p_calixto).

Até mais!