VMware adquire a CloudHealth: o que isso significa?

Padrão

A VMware sempre se portou como uma empresa inovadora e visionária. Lá no começo dos anos 2000, foi pioneira ao lançar o primeiro produto de virtualização para servidores x86, chamado de GSX Server.

A gigante da virtualização costuma sempre acompanhar de perto a demanda crescente do mercado e incorpora empresas-chave para atender às novas necessidades dos negócios.

Podemos pontuar algumas aquisições importantes nos últimos, como:

  • Nicira (adquirida em 2012), empresa especializada em virtualização de redes, que foi inserida dentro da oferta de SDDC com o nome de NSX. Atualmente, o NSX é um dos principais produtos da VMware. Na VMworld de 2017, Pat Gelsinger (CEO da VMware) chegou a afirmar: o que o vSphere foi para os últimos vinte anos da VMware, o NSX será para as próximas duas décadas.

  • AirWatch (adquirida em 2014), empresa especializada em enterprise mobility management que foi incorporada ao portfólio de workspace digital e mobilidade da VMware. Atualmente, a VMware está a frente no quadrante de líderes do Gartner para soluções de EMM.

 

  • VeloCloud (adquirida em 2017), empresa especializada em SD-WAN (software-defined WAN) que veio para expandir ainda mais a presença do NSX no mercado e fortalecer suas soluções software-defined.

Independente se você trabalha na área de TI ou não, é notório o grande crescimento da computação em nuvem nos últimos anos. Podemos tomar como exemplo a oferta de IaaS (infraestrutura como serviço). As empresas estão optando por reduzir a complexidade e o custo de sua operação ao terceirizar a responsabilidade do seu datacenter.

Recentemente, um estudo feito pela McAfee, afirma que a adoção de serviços em nuvem pelas empresas (pública, privada ou uma combinação das duas), já chega a 97%.

Além disso, em estudo recente do Gartner, verificou-se que a oferta de IaaS cresceu 29.5% em 2017, tendo receita estimada de 23.5 bilhões de dólares. Assim como a virtualização se tornou um commodity com o passar dos anos, agora essa realidade está sendo refletida para TODA a infraestrutura de TI. A facilidade com que você consegue criar e escalar infraestrutura na nuvem, é algo incrível e estupidamente fácil.

Como você pode afirmar que possui mais expertise em operar sua infraestrutura do que grandes empresas como Amazon, Google e Microsoft? Não dá. É um briga injusta. É por isso que nuvem é um caminho sem volta.

Pensando em todo esse contexto, conseguimos entender porque a abordagem de multi-cloud chamou a atenção da VMware. Essa semana, a VMware anunciou a aquisição da CloudHealth, empresa que possui uma plataforma robusta de operações em nuvem (até então agnóstica), provendo gerenciamento de custos, automação, segurança e desempenho de aplicações. Estima-se que o valor da negociação chegue à 500 milhões de dólares.

Essa aquisição cai como uma luva dentro do portfólio da VMware. Ela sabe que a abordagem de multi-cloud está crescendo e com o software da CloudHealth, empresas que consomem serviços em nuvens de diferentes provedores, vão conseguir administrá-los através de uma única ferramenta. Além de ajudar clientes a resolver um desafio de negócio cada vez mais comum: como escalar um ambiente de nuvem e dar conta de toda a complexidade operacional envolvida?

Resta saber como se dará essa integração da plataforma da CloudHealth e os produtos da VMware.

Além de toda a solução da CloudHealth, a VMware também absorve sua carteira de clientes, alguns famosos como a Dow Jones, Zendesk e o Pinterest.

Em breve devem surgir mais informações.

Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *